Montemuro Granfondo

ciclista montemuro granfondo

Depois de seis meses de preparação chegou finalmente o dia do Montemuro Granfondo, a primeira prova da época. Um percurso ligeiramente mais curto que a maioria dos Granfondos, mas nem por isso mais acessível! Com mais de 2800m de desnível positivo e a subida do Aveloso pelo meio, a “diversão” estava garantida!

121.8 Km | 2857d+ | 4h22m57s | 27.9 Km/h | 51º Geral | 24º Masters A

TSS: 306 | NP: 230W | IF: 0.84 | AvgPower: 203W | AvgHR: 147bpm | AvgSpeed: 27.9 Km/h

Contrariamente ao que faço habitualmente, nesta prova optei por forçar o andamento um pouco mais na parte inicial da prova, de forma a não perder de vista os grupos mais rápidos. Com isto a primeira parte da corrida passou a voar e depressa chegámos ao início do Aveloso. A partir daí o grupo onde seguia desfez-se e cada um teve que colocar o ritmo possível para ultrapassar a principal dificuldade do dia. Cinco quilómetros com 8.5% de inclinação média, com os dois últimos quilómetros a ultrapassar os 14%. Não há rodas que nos valham…

Terminado o Aveloso rapidamente descemos até à N321, onde se encontrava a divisão entre o Mediofondo e o Granfondo. Fiz a subida para o Alto de Alhões com dois atletas da CACB e a partir daí a sucessão de descidas e subidas fez com que nos separássemos e acabasse por fazer a parte final da prova sozinho.

A última subida do dia já foi feita em gestão de esforço porque as cãibras ameaçavam aparecer cada vez que me levantava do selim. Num último esforço e já com a meta à vista, ainda consegui subir mais 3 posições na classificação. Cheguei ao final da prova no limite mas com a sensação de ter conseguido impor um bom ritmo durante toda a prova, sem quebrar.

Mais do que a classificação e o tempo final, o que importa destacar nesta prova é a melhoria da performance quando comparada com o Montemuro Granfondo de há um ano atrás. Todas os indicadores melhoraram bastante em relação ao ano passado, destacando-se a velocidade média (de 26.5 para 27.9 km/h), a NP (de 216 para 230W) e a potência média (de 188 para 203W). Também os tempos nos vários segmentos da prova melhoraram bastante face ao ano passado o que vem também corroborar a melhoria que os indicadores demonstram.

O que fica desta prova é a satisfação por saber que o esforço que tenho feito está a dar frutos.

Daqui a três semanas estou de volta às provas, desta vez no Douro Granfondo, que será com certeza mais um grande dia de ciclismo!

Siga-nos nas Redes Sociais:
error

Artigos recentes

2 Comments

Deixe uma resposta