A época desportiva em análise

A faltar pouco menos de três meses para a próxima e última prova da época (Granfondo Tavira) partilho e analiso convosco o gráfico que traduz o que tem sido esta época desportiva.

gráfico PMC golden cheetah

Assinalei no gráfico 8 pontos-chave que passarei a explicar de seguida.

Ponto 1 – Depois de cerca de um mês de descanso e recuperação, o dia 05 de Novembro de 2018 marcou o inicio desta época. Este primeiro ponto corresponde aos dois primeiros meses de treino de base, com aumento progressivo de volume e intensidade baixa. No gráfico é possível verificar uma evolução progressiva e sustentada do fitness, sem que a fadiga atinja valores muito negativos.

Ponto 2 – Neste ponto do gráfico observa-se uma descida abrupta da curva do fitness devido a uma paragem forçada de 3 semanas devido a lesão. Levando o gráfico à letra, com este período de paragem voltei à estaca zero da preparação (ou até mais abaixo).

Ponto 3 – Para tentar recuperar o que perdi durante o tempo que estive parado, fiz 5 semanas consecutivas de carga, o que resultou numa subida bastante acentuada da curva do fitness, ao mesmo tempo que a fadiga atingiu os valores mais baixos registados ao longo de toda a época. Após essas 5 semanas entrei na fase Build, em que o volume se manteve constante, aumentando o trabalho em intensidades mais altas.

Ponto 4 – O Montemuro Granfondo marcou o inicio de um mês com 3 provas. No gráfico é possível verificar uma pequena descida do fitness antes do ponto assinalado com o número 4, que coincide com a fase de taper antes da prova, em que se pretende um balanço perfeito entre uma redução progressiva da fadiga (também visível no gráfico) e uma perda mínima em termos de fitness.

Ponto 5 – Segunda prova da época, o Douro Granfondo.

Ponto 6 – Com o Lousã Granfondo terminei um mês com três provas, em que o principal desafio foi encontrar um balanço adequado entre o treino e a recuperação, de forma a chegar a cada uma das provas na melhor condição possível. Foi uma fase estranha da época, porque a sensação era de que estava a perder forma porque não estava a treinar o suficiente, mas curiosamente o resultado na última destas 3 provas foi o melhor até ao momento.

Ponto 7 – Com a próxima prova apenas a 7 de Julho, pude novamente retomar a rotina normal de treino, com 3 semanas de carga e uma de descanso e recuperação, o que se traduziu novamente numa subida progressiva do fitness conforme é possível verificar no gráfico.

Ponto 8 – O Granfondo Serra da Estrela foi a última prova onde participei. Mais uma vez é possível verificar nas curvas do fitness e da fadiga as duas semanas de taper antes da provas e o pico provocado pelo TSS elevado resultante da prova.

Depois de uma semana de descanso e recuperação regressei novamente à rotina semanal de treinos, que durará até ao inicio do mês de Agosto, altura em que vou parar uns dias para umas merecidas férias. Depois disso arregaço novamente as mangas para chegar ao dia 13 de Outubro na melhor forma possível!

Em forma de gráfico, isto é o que tem sido esta época desportiva.

Siga-nos nas Redes Sociais:
error

Artigos recentes

Be First to Comment

Deixe uma resposta